in

Uma Decada de Grindr! A mais famosa dating app!

Quem imaginaria que o Grindr já existe há 10 anos?

Grindr é uma das mais famosas e usadas ​​aplicações de “engate”, que foi lançada em março de 2009, quando o iPhone ainda estava a dar os seus primeiros passos no mundo dos telemóveis. Uma época em que o BlackBerry era o rei! A loja da Apple tinha sido criada hà menos de um ano e como ainda não existiam Instagrams, Snapchats, Tinder ou Scruff, ou qualquer outro tipo de aplicação de “engate”, a aplicação Grindr abriu o caminho para um novo estilo de aplicações.

O Grindr apareceu com um conceito extraordinário e inovador, onde as pessoas passaram a preencher a informação que desejam: colocando uma foto de perfil; a disponibilidade sexual; a procura de amizades ou mesmo só a procura de relacionamentos.

Foto de Susannah Ireland, da Independent.co.uk

Esta aplicação foi criada por um empresário Israelita, Joel Simkhai, com o objectivo de ajudar os homens gays a fazerem “amigos”!

A maior diferença do Grindr, em compração com o Gaydar ou o ManHunt, foi a utilização por gps através do iPhone, de forma a possibilitar que os gays descobrissem outros gays perto de si.

Os “engates” online e o futuro dos relacionamentos homossexuais mudariam para sempre! Atualmente, o Grindr tem cerca de quatro milhões de usuários diários e está presente em mais de 200 países.

“É um catálogo da Argos com homens gays, em stock, prontos para serem escolhidos”, diz o comediante Jack Rooke, que conta as histórias das suas experiências da utilização do Grindr como parte do seu stand-up comedy.

“O Grindr, foi para mim um lugar onde aprendi muito sobre a cultura gay e a cultura queer, e o significado de “o que é ser uma pessoa gay”.

É claro que, com tantos usuários, este tipo de aplicações atrai o pior que existe nas pessoas: mensagens abusivas; marcação de encontros com homens que nunca aparecem; perfis falsos com fotos íntimas de outras pessoas; ou mesmo racismo e preconceito para com etnias ou tipo de pessoas.

Antigamente homens de todas as idades, origens e tipos de corpo encontravam-se em bares e passavam tempo juntos. Mas hoje em dia, as pessoas podem selecionar seus amigos nos catálogos on-line.

“Estamos a desumanizar as pessoas”
Antiga visão dos perfis do grindr, foto do google images

“Como parte do nosso décimo aniversário, estamos a definir um maior foco na autenticidade. Queremos que os nossos usuários tenham experiências saudáveis e autênticas. No próximo ano, iremos lançar novos recursos, mostrando histórias reais de usuários reais, desejamos envolver-nos em eventos da comunidade e encontrar mais maneiras de contribuir para a comunidade LGBT+ “, disse uma porta-voz da aplicação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Loading…

0

Comments

0 comments

Entrevista EXCLUSIVA a Zack Polanski, do partido dos Verdes de Londres

De Olhos Bem Abertos. PATTY HORING