Suíça vota fim da discriminação sexual

Os eleitores suíços aprovaram por uma ampla maioria, mais de 63 por cento, e em referendo uma medida que tornará ilegal discriminar alguém devido à sua orientação sexual. A legislação já existente sobre discriminação e ódio racial ou religioso, passa a abranger também esta questão.

O socialista Mathias Reynard, que é o promotor desta lei, diz que o resultado do referendo “foi um sinal importante para os direitos LGBT, mas também para os direitos humanos, para a tolerância suíça”. Acrescenta que “é uma vitória importante” e que esperam, agora, a possibilidade de casamento para todos já que no país “a comunidade LGBT não pode casar” e diz que lutam por isso.

O parlamento tinha aprovado este alargamento da legislação mas os seus opositores, os partidos conservadores e populistas, que reuniram as assinaturas suficientes para convocar o referendo, esperavam bloquear esta reforma. Não conseguiram.

David Trachsel, do Partido Popular Suíço diz que a sua formação aceita o resultado e que “parece ficar claro que haverá maior proteção”, apesar deles discordarem, mas o argumento contrário convenceu os suíços.

Para os defensores do texto este era o passo necessário a dar já que a discriminação baseada na orientação sexual já é penalizada noutros países europeus e o Conselho da Europa e ONU tinham pedido à Suíça que reforçasse a legislação contra a homofobia.

Fonte:Euronews

Like this article?

Share on facebook
Share on Facebook
Share on twitter
Share on Twitter
Share on linkedin
Share on Linkdin
Share on pinterest
Share on Pinterest
Francisco Lacerda

Francisco Lacerda

Francisco Lacerda nasceu em Lisboa, Portugal. É um critico de cultura Queer e editor de cultura do Pois. Especialista em luxo e arte, trabalha para o Pois desde 2018.

Check More Posts