O Pride deve continuar!

Apesar da proibição Policial, Hong Kong teve o Pride!

Na semana passada, Hong Kong restringiu a marcha Pride deste ano… mesmo assim, o Pride deve continuar! Pelo que, os participantes apenas foram autorizados a juntarem-se num evento “public meeting style”. Como seria de esperar, os membros da comunidade de Hong Kong ficaram desapontados com estas ações por parte da polícia, apesar da justificação estar relacionada com o facto dos vários protestos que têm ocorrido no país.

“A marcha Pride sempre foi bastante ordenada, pacifica e bastante disciplinada”, disse Ray Chan, um legislador gay de Hong Kong, ao The Straits Times. “Não existem razões para a polícia rejeitar a nossa aplicação da marcha … e não tem nada relacionada com os recentes protestos.”

Este ano apenas participaram cerca de 6.500 pessoas contra as 12.000 pessoas do ano passado, onde a comunidade LGBT pediu proteção contra a discriminação e mais direitos de igualdade para casamentos gay. Infelizmente as tenções no país, levaram a policia a rejeitar a aplicação para a organização e realização desta marcha.

“O governo não está disposto a ouvir as pessoas”, Jimmy Chan, um ativista dos direitos LGBT e líder pro-democrata afirmou ao the Sydney Morning Herald. “Apenas quando as minorias e os grupos em desvantagem forem ouvidos e protegidos ai sim o publico em geral estará seguro.”

Imagem de capa por Timeout.

Like this article?

Share on facebook
Share on Facebook
Share on twitter
Share on Twitter
Share on linkedin
Share on Linkdin
Share on pinterest
Share on Pinterest
Nelson Farrim

Nelson Farrim

Nelson de Pina Farrim é o Fundador do Portal de notícias Pois.pt, nasceu em 15 de Julho de 1991. Estudou fisioterapia, mas muito cedo percebeu que o seu caminho passava pelo activismo dos direitos das mulheres e da comunidade LGBT+, o que o levou a criar o portal Pois.pt. É modelo, gosta de jogos de consola e pratica ginásio.

Check More Posts

Leave a comment