Grindr vai ser vendido por riscos à segurança Nacional

Grindr é conhecido como a maior aplicação de encontros e relacionamentos para o publico Gay, e os seus detentores fizeram agora um acordo com o governo americano para o vender até Junho de 2020. A justificação de Washington foi que há receios quanto à segurança nacional, já que a propriedade do software pertence à China.  

Num comunicado feito na passada segunda feira (13/05), a empresa chinesa afirmou que o acordo fechado com as autoridades dos EUA proíbe a empresa de ter acesso a informações dos utilizadores do Grindr. O Grindr por sua vez também não poderá transmitir quaisquer informações presentes na app a qualquer instituição chinesa.

O acordo proíbe a aquisição de negócios americanos por empresas do exterior se for considerado que há risco para a segurança Nacional.  Os detentores atuais do Grindr são então agora obrigados a vender a aplicação até Junho de 2020.

Like this article?

Share on facebook
Share on Facebook
Share on twitter
Share on Twitter
Share on linkedin
Share on Linkdin
Share on pinterest
Share on Pinterest
Nelson Farrim

Nelson Farrim

Nelson de Pina Farrim é o Fundador do Portal de notícias Pois.pt, nasceu em 15 de Julho de 1991. Estudou fisioterapia, mas muito cedo percebeu que o seu caminho passava pelo activismo dos direitos das mulheres e da comunidade LGBT+, o que o levou a criar o portal Pois.pt. É modelo, gosta de jogos de consola e pratica ginásio.

Check More Posts

Leave a comment